SOBRE

234628719_993352404733817_1025104766305754463_n.jpg

Gil Collares é cantor, ator e diretor de teatro formado pela UERGS-RS. De Porto Alegre - RS, iniciou a carreira artística no teatro em 1995 e em 99 já dava os primeiros passos na música na Academia de Música Prediger. Participou de coral na igreja, foi crooner de orquestra, vocalista de diversas bandas e passou a se
apresentar solo em meados dos anos 2000. Acumula prêmios no teatro e na música e apresenta ao público em 2021 seu primeiro trabalho autoral, o EP Black Popular.

BIOGRAFIA

Gil Collares nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Desde a infância, mostrava sua tendência para as artes, desenhando, atuando e cantando. Aos 17 anos, começou seu primeiro curso de Tec. Vocal para o canto na extinta Academia Prediger, famosa escola de música nos anos 80 e 90 no centro de Porto Alegre. Já no início dos anos 2000 começou a cantar no coral Vocal da Paz da Igreja Luterana, dirigido pelo Regente Luiz André da Silva.
 

Após 5 anos no coral da igreja, foi convidado pelo Maestro luiz André para ser o crooner da Orquestra da Sogipa onde ele também regia. A partir daí passou a ser vocalista em diversas bandas de MPB e Soul e em 2016 passou a se apresentar solo como Gil Collares e banda. Desde então tem feito diversos shows com repertório de clássicos da MPB, homenageando cantores como Tim Maia, Wilson Simonal, Lupicínio Rodrigues e outros no "Tributo a Negras Vozes" e o cantor e compositor Gonzaguinha no show "Guerreiro Menino", entre outros repertórios.

Formado em teatro pala Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, formou o Coletivo Montigente onde desenvolve até hoje Projetos que envolvem o protagonismo de artistas negros da cidade e onde já dirigiu e produziu 06 espetáculos teatrais.

Em 2012, foi selecionado e realizou um antigo sonho; o de cantar no famoso Programa de calouros da TV comandado pelo lendário apresentador Raul Gil. Cantando "All nigth long" de Lionel Richie foi muito elogiado por jurados tradicionalmente conhecidos pela rabugice e conhecimentos musicais como Marly Marley e José Messias. Dois anos depois fora chamado para mais um Programa de TV, desta vez o Máquina da fama apresentado por Patrícia Abravanel, onde homenageou o cantor Emílio Santiago.

 

O primeiro trabalho autoral na música intitula-se Black Popular e conta com 6 faixas, 4 de autoria própria, 1 em parceria com o músico Thiago Santos e 1 canção dos compositores Delma Gonçalves e Bedeu.

 

156475_10202198401614792_795954415_n.jpg
424794_3027216312714_612013514_n.jpg

Com Patrícia Abravanel SBT (2014)                                             Com Raul Gil SBT (2012)